Você já deve ter ouvido falar no mantra: “Pense global, aja local”. Ou seja, os empreendedores buscam solucionar problemas locais, porém os seus negócios são formatados para ganhar o mundo.

E se chegou a hora de ganhar o mundo e subverter a mantra para pensar global e agir global, o caminho está logo ali, no chamado “velho continente”, que de velho não tem nada.

Sem muito blá, blá, blá, listamos abaixo oito motivos para você trazer a sua startup* para a Europa, via Lisboa. Confira:

  1. Solo fértil, sementes abundantes

Walter Isaacson, biógrafo do Steve Jobs, ao tentar desvendar os segredos do Vale do Silício, resumiu: um local com solo fértil e sementes abundantes. Ou seja, ambiente propício para empreender, com incentivos locais de acesso ao capital, mão de obra qualificada e global, com compartilhamento de know-how.

Lisboa (eleita, pelo segundo ano consecutivo, o melhor destinho turstico europeu), reune esse triplé avassalador, credenciando-a, inclusive, para sediar o maior evento do mundo de tecnologia, o WebSummit, até 2028.

  1. Incentivo é aqui

A integração entre os sujeitos do ecossistema empreendedor local criou nada mais, nada menos, que onze programas de incentivo, espalhados ao longo do país (do tamanho de Pernambuco).

Lisboa, Braga, Porto, Oliveira do Hospital (próximo a Coimbra), até a Ilha da Madeira, oferecem incentivos para instalar a sua startup. Desde vistos de permanência, isenções fiscais a investimentos com isenção de reembolso (fundo perdido). Tudo a ser moldado ao seu perfil e estilo.

  1. Porta de entrada

Portugal definitivamente não é o foco caso queira clientes. População relativamente pequena e predominantemente de maior faixa etária, é sim a porta de entrada caso queira clientes da comunidade européia.

  1. Ambiente com baixa regulação

Se comparado a Estônia ou Malta, de fato o ambiente por aqui é mais regulado, mas nem tanto ao ponto de desestimulá-lo. E afinal, a escolha entre esses lugares que até ontem nunca se ouviu falar, sem charme, sou mais Lisboa.

  1. Living labs

Em algumas regiões, tem-se proliferado centros de inovação, como o Tagus Park e Oeiras. Além de espaços de experimentações, sem a interferência da mão regulatória, e em sintonia com os princípios do movimento “open innovation”, como recentemente liderou a Universidade do Porto.

  1. Lifestyle

Portugal, em especial Lisboa, é cosmopolita, litorânea, solar, com todas as opções orçamentárias de moradia, alimentação e serviços públicos em geral (mobilidade, saúde, educação, etc).

Não é a toa que se tornou o destino preferido dos brasileiros, dos mais variados tipos, perfis e estilos (goste deles ou não).

  1. Engajamento

A reunião de todos esses fatores certamente fará bem para a startup, seu time e retenção de talentos, afinal será um prazer trabalhar ou ser sócio de uma empresa alinhada com a cultura e valores europeus.

  1. Nós 8

Esse post, na verdade, não é informativo (basta dar um google para encontrar tudo que falamos acima), mas sim para informá-lo que o Nós 8, Coletivo de Advogados, desenvolveu um programa específico para a internacionalização da sua startup. Fale conosco pelo nosso chat box em www.nos8.com.br.

*para nós, startup não é um modelo de negócio repetível, escalável, etc, etc, mas sim um estado de espírito.